SANTIAGO DE COMPOSTELA

Experiência do Caminho

Para além de toda a envolvente histórica e cénica do local, Bulwark situa-se também numa antiga via romana de bastante afluência ao movimento dos Caminhos de Santiago.

Quem inicia esta experiência depara-se com os fenómenos religioso e cultural nela impactantes, onde o propósito motivacional de milhares de peregrinos para além da espiritualidade, aventura ou turismo, é também como elemento comum a necessidade de encontrar algo, a sua própria orientação pessoal. Podemos então partir da origem da palavra peregrinoperegrinus, em latim – para caracterizar a essência de toda esta experiência: “peregrino é aquele que percorre um espaço e, nesse espaço, encontra o outro”.

Deus, amizade, os outros ou a si mesmos, o verdadeiro desafio de todo este fenómeno é o próprio caminho e não a chegada à meta. A transformação pessoal e interior é um dos mais complexos fenómenos, onde a experiência de caminhar sozinho leva a cabo uma profunda introspeção e o anonimato, transformado em igualdade perante os outros, proporciona uma intensificação dos próprios sentidos.

Segundo o antropólogo Jack David Eller (“Introdução à Antropologia da Religião”, 2018), todos os humanos têm objetivos a alcançar e «se a linguagem é eficaz, a ação o é duplamente».
Em conclusão, lançar-se no desconhecido é um dos passos importantes para entrar no papel de peregrino.